0

O prefeito Fradique Gurita esteve acompanhando na manhã desta última sexta-feira 02, os trabalhos de orientação da Policia de Meio Ambiente em relação a incidência de fogo que vem acontecendo constantemente no lixão da cidade. Nós ouvimos o prefeito que destacou a serie de complicações provocadas por quem coloca fogo no lixo “primeiramente eu tenho que pedir desculpas aos Campinaverdenses, que são atingidos pela fumaça dos irresponsáveis que colocam fogo lá no lixão, gerando problemas de saúde em idosos, crianças que vão parar no Pam, além de aumentar os gastos com a saúde. Eu quero dizer o seguinte, o que pode ser feito nós estamos fazendo, nós reunimos com todos os catadores de materiais reciclagem aqui a dois meses para legalizar a função deles, e nesse dia solicitamos que se houvesse a colocação de fogo mais uma vez a Polícia Ambiental seria acionada, infelizmente voltou a ter fogo, convoquei a polícia para mais uma conversa com os catadores, determinei a contratação de uma máquina de esteira para fazer os trabalhos de aterramento e apagar o fogo que lá estava ainda em andamento, e ficamos claro que se tiver mais fogo todos os catadores serão impedidos de ali estarem, pois o lixão será trancado e ninguém mais vai entrar lá dentro” ressaltou o prefeito.

O Comandante do 2º Grupo de Polícia de Meio Ambiente, sargento PM Cleiton Oliveira acompanhado do cabo Valdo, estiveram visitando o local, e conversaram com os catadores de materiais recicláveis, orientando os mesmo a não colocarem fogo no lixo, uma vez que a legislação ambiental proíbe a permanência de pessoas no local e também a existência de lixões a céu aberto “estamos preocupados com a situação que o município vem sofrendo, através de denúncias constantes sobre depósito incorreto de lixo, descarte irregular e fogo nós estivemos aqui a poucos dias buscando a solicitação de uma solução pacífica para a questão, uma vez que o plano estadual de resíduos sólidos proíbe a permanência de catadores no interior de lixões, inclusive proíbe a existência de lixões, a gente entende a dificuldade do administrador em conseguir regularizar a situação do lixo, a nossa presença aqui tentar conscientizar de maneira tranquila, sem força, sem multa para que essas pessoas possam desocuparem esse local e também não coloquem fogo de forma a geral problemas respiratórios, sabemos da dificuldade que essas pessoas tem de saírem daqui por falta de emprego, pois conseguem tirar seu rendimento, no entanto o restante das cidades sofre com a questão fumaça” destacou o sargento.

O sargento destacou ainda que o cidadão que colocar fogo em lixo ou em outro local poderá ser penalizado conforme prevê a legislação “e crime no artigo 250 do Código Penal, que está previsto na lei dos crimes ambientais, com valores considerados grandes para quem coloca foto, além do prejuízo ambiental que traz o fogo” finalizou o Sargento Cleiton.

Para tentar solucionar de uma vez por todas o problema do lixão em Campina Verde, Fradique ressaltou que em 2008 quando era prefeito, deixou um projeto pronto, inclusive com área e recursos alocados para a construção de um aterro sanitário, porém a obra não saiu do papel, mais todos os esforços estão sendo feito para retomar o projeto e dar um fim definitivo ao lixo coletado diariamente na cidade “estamos muito adiantado com projeto, buscando o recurso, e eu tenho fé em Deus que não vou sair da prefeitura sem construir o aterro sanitário, sem a reciclagem concluída, que tranquilizar a todos e espero que fogo lá nunca mais, e que em breve podemos estar anunciando os recursos do projeto para finalizar aquele problema, e construir o aterro sanitário e a reciclagem completa, que dá dinheiro e que da qualidade de vida para o cidadão, diminuindo os gastos com saúde, precisamos só de um tempo, trabalhando nós estamos para buscar esse recurso e se Deus quiser vamos conseguir” assegurou o prefeito.

Confira a matéria completa no Facebook:

https://www.facebook.com/prefeituradecampinaverde/videos/789858808082663/

 

Confira a matéria completa no Youtube:

Por William Batista.

Fotos William Batista.